Francisco J. Marques: “No meu caso não tenho encartilhados”

Director de comunicação e informação do FC Porto pede que a justiça desportiva seja cega.

Francisco J. Marques, director de comunicação e informação do FC Porto, respondeu a algumas questões colocadas pelo jornal “Expresso”, entre elas se fala com os comentadores desportivos para os preparar antes dos debates. “No meu caso, em sintonia com o ADN do FCP não tenho encartilhados. Acho que, se o fizesse, estaria a atentar com os valores liberais que são a matriz da nossa cidade”, respondeu.

Sobre a pacificação do futebol português e o papel dos directores de comunicação, no qual se centra o trabalho do “Expresso”, respondeu: “A pacificação do futebol português não é uma questão de comunicação, é uma questão institucional complexa, mas que poderemos resumir numa frase: deixem os árbitros ser livres e deixem que a justiça desportiva seja cega às cores das camisolas”.

Fonte: ojogo.pt